01_-NEWS_2.jpg
O lado oculto da reparação automotiva.
  
Após se envolver em um acidente de trânsito, passar por todas as etapas necessárias para consertar os danos do veículo e aguardar a saída do automóvel da oficina, o motorista recebe o carro sem nenhum dano aparente da colisão sofrida. Mas, será que os reparos foram feitos da forma correta, seguindo as normas da montadora? A resposta para esta pergunta nem sempre é positiva. De acordo com os engenheiros da equipe técnica da Confiar, cerca de 15% dos veículos usados já passaram por algum reparo na parte estrutural e 70% desses procedimentos fogem, de alguma maneira, dos critérios definidos no manual do fabricante. Isso porque, ao invés de serem simplesmente desamassados, os componentes estruturais devem ser trocados inteiramente na maioria das vezes, obedecendo assim ao processo de desmembramento, local e tipo de solda indicados.
 
O reparo inadequado das peças pode afetar drasticamente a segurança do veículo - e, consequentemente, dos passageiros - uma vez que o elemento tem a sua capacidade de absorção de impacto reduzida. O ideal é que as peças como as longarinas, colunas (A, B ou C), assoalhos, caixas de rodas, travessas de reforço e torres dos amortecedores sejam inteiramente trocadas e não reparadas. O Centro de Experimentação e Segurança Viária (CESVI BRASIL) realizou um teste de impacto em um automóvel cuja longarina foi reparada utilizando a técnica usualmente empregada pelas oficinas com o estiramento da peça com aquecimento, seguido de reparação das áreas de deformação programada. O resultado foi uma deformação de 148 milímetros contra 51 na longarina original (sem reparos).
Por isso, fique atento: antes de mandar seu automóvel para uma oficina de reparo, peça a uma empresa especializada em análise técnica automotiva para fazer a avaliação e verificar quais procedimentos de conserto devem e podem ser realizados. Após a finalização do serviço, o profissional também pode para verificar se a intervenção foi realizada da forma correta, garantindo assim, a segurança estrutural do veículo.
 

Processo Errado de Funilaria Processo Errado de Funilaria